sexta-feira, janeiro 08, 2010

O descanso do Guerreiro

Ontem fui para a serra, em serviço profissional, e estava um frio do caraças.

Hoje de manhã fui ao NVV Veronique, a calaçar, a calaçar cedo, mas a calaçar, e a temperatura estava boa, zero graus, nem calor nem frio.


PS: As fotografias são MINHAS, podem surripiar à vontade. Sei que não são grande merda, longe, muito, dos contra luzes e dos sem luzes do Bolha, mas quem dá o que tem....

2 comentários:

João Manuel Rodrigues disse...

Desculpa lá, mas tou farto de olhar para as fotos e não vejo nenhum guerreiro, deve ser o Rambo que anda perdido na Serra.

Olha, será que já não é tempo de endireitares o ferro que está pendurado á proa?

Desde Bayona "A Real" que está naqueles modos.

João

Pedro disse...

Também quero comentar o ferro. Deixe que lhe diga, caro Veiga, que esse mamarracho parece obra de um de dois artistas aqui do Ribatejo Profundo: Do Mestre Bacalhau ou do Mestre Cavaleiro, ambos conhecidos pela notória capacidade de pegar em pedaços de sucata e transformá-la em algo de remotamente aplicável à Náutica de recreio.

Assim o Véronique passa a ter 3 defeitos:
1- Não ser meu;
2- Os cortinados;
3- O ferro (o deverei dizer a poita?.)

:D

Abraço!

P.Cabral