terça-feira, janeiro 26, 2010

Não passa de um pormenor

"....
24JAN2010 - 6º Dia
A passagem pela Madeira correu lindamente. Tivemos a bordo TV's, Rádios e jornais regionais a cobrir o embarque do Vinho da Madeira que vai dar a volta. Só havia lapas congeladas devido ao defeso. Estão guardadas para quando chegar-mos ao Verão, dentro de alguns dias.
Foi também muito bom para os contactos de despedida que não tivemos oportunidade de fazer antes da largada, visita aos emails e... ver o espectacular anfiteatro que é a cidade do Funchal.
O pessoal da máquina soldou o novo olhal da verga sécia ainda ao abrigo da baía e ficou o problema resolvido.
Largámos à hora de almoço e fizemos a primeira faina para navegar a todo o pano: um vento espectacular de W e íamos nos 10 nós com o navio muito estável...

...."

Trecho do Diário de Bordo do NRP Sagres.
Talvez pela preça esta xeio de erros ortograficus, toda a gente sabe que ia-mos se escreve assim, bem como tive-mos e outros.

4 comentários:

Pedro disse...

Eu que já estive o prevelégío de navegár na Ságres tenhu de defender os meus eis camaradas! O mal é do már, que abana o bárco e fáznos escrever açim... Ou então dos mártinis a 0.15€ no bar das práças, não cei beim...

almagrande disse...

De fato..! Será o tal acordo?

CELTA MORGANA disse...

Gosto particularmente da frase das "lapas". Dá um ar de navio-oceanográfico !! Congelação, "defeso", "crio-preservação". Estes gajos é que a curtem !!!
Ainda (por cima) longe das respectivas !!

brito/picatoste disse...

A todos os militares da briosa que seguem a bordo da barca, que Poseidon vos conceda a sua graça e que Neptuno vos confira toda a sua deferência. Que Zeus vos seja benevolente, seja qual for o oceano que naveguem não permitindo que Eurus vos incomode.
Não será necessário frisar a honra que é navegar com as cores nacionais a adejar à popa, nem tão pouco o pundonor que é levar a cruz nascida da Ordem Suprema e Militar dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão que matizam em todo o seu esplendor o pano da "Sagres", tal como à séculos atrás diferenciavam as caravelas lusitanas pelo mundo.
Ao Sr. Comandante, cai-lhe sobre os ombros a boa fortuna da guarnição e do navio, pesado fardo bravo Sr. e que seguramente o fará com boa ventura. Jamais se esqueça insigne comandante, o Navio Escola é o mais distinto navio da Marinha de Guerra Portuguesa, o melhor veleiro do mundo.
Usei o alcaixe com orgulho e como todo o marujo que navegou neste sempiterno emblema nacional que é a “Sagres”, não vos posso desejar com todo o coração e grandeza de alma uma boa jornada pois parte desse órgão torácico que me late no peito e essa que é a representação da consciência, caráter e sentimento ficou de maneira perenal por entre as anteparas da barca.
Camaradas, espero com toda a lhaneza, que a Pátria vos volte a ver a todos intácteis e que o saudoso abraço dos vossos entes queridos vos receba como os verdadeiros embaixadores que são deste Portugal cujos montes Viriato calcorreou, fronteiras que São Nuno de Santa Maria defendeu e feitos que Luis Vaz cantou.
“A PÁTRIA HONRAE………”

Ex 2ºMar “L”
9325593
Armando Moreno
(L5)
armo900@gmail.com