terça-feira, março 09, 2010

Episódio TRÊS, Os Blogs do Ribatejo

Estes ficam todos na mesma malga, uma vez que para todos eles, a oeste do (tenebroso) Mar da Palha, é tudo trevas e monstros.
Gente retratada pelo Garret no episódio dos Ilhavos e dos Campinos, cujo teor é reproduzido no cabeçalho deste blog.
Pertencem a uma raça de gente que está bem é a lidar uns toiros, a fazer pegas de cernelha e a sulcar as cálidas, doces e calmas águas do Têjo, nas suas típicas embarcações de riba-Têjo-água-acima.
Desconhecem o que são samos de bacalhau, nunca ouviram falar de oceânos, navegam à vista da mesma forma que montam um cavalo nas lezírias, a trote.

Vestem colete encarnado e envergam as mais das vezes um barrete de campino.
Adoram dançar um fandango, embora ultimamente esta dança tão comum no Ribatejo tenha sofrido as influências nefastas do Kizomba, dando origem ao Kizomdango.
Grandes admiradores de Pedrito de Portugal, que já propuseram duas vezes para Presidente da Fundação Luso Americana, uma vez que a Luso-sevilhana ainda não existe, ou, no mínimo, para cabo do grupo de forcados amadores de Alhandra.
Os seus espaços na web só poderiam ter nomes relacionados com o Ribatejo Profundo, com os Práticos do (tenebroso) Mar da Palha ou com os Grupos de Forcados Amadores de Alhandra.

3 comentários:

João Manuel Rodrigues disse...

Tàs a perder faculdades, eu a pensar que vinha aí um "best seller", sempre te teive em consideração como um autentico "story teller", agora desiludiste-me.

Olha, só por causa disso, para a semana tenho de ir á costa oceanica a norte de Coimbra e aproveito para almoçar contigo.

João

Eugénio disse...

Quantas vezes ouvi esta historia? adivinhem lá. Mas há uma nova para mim, sejamos francos, essa do Kizomdango (até tive que parar para perceber como se escrevia)

Pedro disse...

E vão dois! Discordo totalmente da descrição por razões diversas:

1-Abomino toiradas e todos os decadentes espectáculos de desnecessária humilhação de animais por gente que outra gente não consegue humilhar pela força do intelecto e se cinge e açoitar, picar, fintar e esfaquear bestas ignorantes do propósito pseudo-lúdico do sofrimento a que são, amiúde, sujeitas;

2- O Tejo não tem águas mas sim áugas, e as áugas do Tejo só são calmas às vezes e raramente são cálidas. De facto, neste momento, deverão estar pelos 12 ou 13 graus, portanto muito mais frescas que a água salgada do Grande Mar Oceano

3- Revolto-me pelo facto de o Fulô estar a ser calibrado pela mesma bitola dessa raça de monocascos de patilhão de encolher que por cá temos de aturar também, e que por sinal até são (ou foram) fabricados algures a Norte da Figueira.

4- Também abomino a Kizomba e a coisa mais parecida com os ritmos acelerados de tais pantominas que toca no Fulô só mesmo a velocidade com que as milhas percorridas se acumulam no odómetro, quando impulsionado por qualquer coisa acima de 5 nós de vento pela alheta.

5- De Bacalhau conheço as variedades Com Grão, Assado, de Pívea, à Bráz, À Gomes de Sá e Com Natas, sendo que outras iguarias nunca me foram apresentadas


Feito o respectivo relatório deixo à atenção do editor deste belogue proceder às correcções sem demora, sob pena de ainda antes do mês que vêm fazer deslocar uma frota de assalto daqui para cima e tomar de cerco a Lota Velha de Aveiro, com sacos e sacos de Bacalhau espanhol, congelado.

:)

Abraço!

Pedro Cabral