quarta-feira, setembro 12, 2018

Romaria do São Paio da Torreira

Já teve melhores dias, sobretudo do ponto de vista de quem lá chegava de barco pelos canais da nossa Ria.
Não há muitos anos, quando a marina  estava operacional, navegavamos pela Ria até à Torreira e passávamos lá uma semanita, romariávamos, participávamos da festa.
Hoje é impensável mas, mesmo assim, o gracioso veleiro subiu impante o canal de Ovar e, como a maré estava muito alta quando chegamos, ainda demos uma voltinha ao largo da marginal da Torreira, até que fundeamos, a Sul do Porto de Abrigo dos Pescadores, num local em que registamos 7 metros na PM e 4,5 metros de sonda  na BM




Seguimos os risquinhos do Navionics já anteriormente marcados, embora recomende seguir o risco mais a Oeste.



Na rota para a Torreira fomos acompanhados por alguns golfinhos, sinal de que a nossa Ria tem as aguas mais limpas



O nosso pescador de serviço apanhou este exemplar não identificado. Não houve acordo quanto à espécie, tendo os opínadores ficado divididos entre um xarroco grande e um tamboril pequeno. Na duvida foi devolvido à Ria.



Local onde fundeámos, 4,5 metros de água debaixo do Veronique   no estofo da BM.




Na margem, mesmo ao lado, dois moliceiros preparados para a noite, faziam a festa com uma gaita de beiços e uma pandeireta.



A noite caiu  mágica, serena, sem vento.






O fogo, o pretexto, foi magnifico.



E suspendemos para regressar ao Oudinot pelas 0030 de domingo, com apenas uma hora de enchente, mas rija.
Um ligeiro toque no fundo do canal, antes do Muranzel, que safamos em poucos minutos, não ensombrou uma viagem e uma noite memorável.

Sem comentários: