quarta-feira, novembro 04, 2009

Bitaites à ANC

Caros Amigos,
Do meu cantinho de Aveiro, lógicamente longe das questões centrais da gestão da nossa Associação, abordadas nos dois emails distribuidos, se me deixarem, gostaria de 'mandar uma ou duas bocas' daquilo que penso.
A ANC não tem problemas muito diversos dos que tem a minha mais directa associação, a Avela. Como a Avela, a ANC é antes de mais uma associação de armadores que, e muito bem para ambas, mantêm uma actividade desportiva e social para e com os seus associados e, pretende-se, com a sociedade envolvente.
Sendo associações sem fins lucrativos, entende-se que quem cá anda, nos cargos directivos, é por 'carolice' ou por espírito de missão (sei que , pelo menos para alguns, é verdade, é mesmo por missão).

Que importa pois a um associado, sobretudo vivendo a 240 kms de Lisboa, como eu, e a outros daqui do Norte? Para além das vantagens que um seguro de grupo, ou outras iniciativas do género, possam ter, interessam-me sobretudo actividades que aglutinem e federem as iniciativas locais que vamos tendo.
Eu explico-me: As regatas, cruzeiros, colóquios, tertúlias vélicas que a ANC organize em Lisboa dificilmente terão a nossa participação, não por falta de inetresse, muito menos por desacordo, mas simplesmente por impossibilidade geográfica.
Concordo e apoio essas actividades, mas penso que não são elas que podem dar à nossa Associação uma caracter nacional. São da 'espécie' das que a Avela organiza, mas em Lisboa e com mais participantes dada o maior numero de sócios locais.

O caracter NACIONAL da ANC consegue-se, a meu ver, com a vertente 'federadora' que a ANC podia, e devia, assumir, congregando e alavancando as organizações locais, tanto quanto possível fomentando a participação de embarcações de portos diferentes. Essa participação, de embarcações de portos diferentes, obrigaria às navegações entre eles, ao conhecimento e troca de experiências das tripulações de Aveiro, Porto, Figueira, Povoa, Vila do Conde, Nazaré, Lisboa e demais do país.
Fomentaria a necessidade da construção de portos de recreio pela nossa costa afora, traria certamente mais gente para a prática da vela de cruzeiro, tornaria mais vísivel a nossa actividade, daria à ANC um caracter verdadeiramente nacional.
Actividades como o Cruzeiro à Berlenga, a Recepção na Ria de Aveiro aos companheiros da Póvoa e de Leça, o recente Cruzeiro/Regata às Ribeiras do Douro e Ave, são exemplo que considero marcantes, simplesmente por congregarem embarcações de portos diferentes.
São actividades locais, mas aglutinadoras de vários veleiros oriundos de diferentes portos da nossa costa.

Os delegados, como eu, deixariam de ter razão de existir, porque os delegados locais das ANC seriam os clubes e associalções locais. Tudo isto sem beliscar em nada a actividade que a ANC hoje leva a cabo em Lisboa.

Este ideário já tive ocasião de o expôr, e sei que esbarra com algumas questões administrativas relacionadas com o caracter federativo, que já existe, da FPV.
Mas a FPV está muito mais vocacionada para a vela ligeira e de competição, que não é própriamente a nossa actividade principal. Daí que a ANC podia preencher esse vazio.

Bons Ventos para todos,
João Madail Veiga

Sim, retirei a resposta/parecer do Presidente da ANC.
Apesar dela não se ter dirigido só a mim, foi-o a um grupo restrito de sócios e acho que não tinha o direito de a divulgar.
As minhas desculpas.

12 comentários:

Pedro disse...

Só uma correcção: A FPV não está vocacionada para coisíssima nenhuma senão para a missão de lavar o rabinho com água de rosas a dois ou três senhores feudais dos clãs da vela ligeira de competição em Portugal...

Sempre os mesmos a papar tudo tudo tudo, como o Sebastião da cantiga, no que toca a apoios, subsídios, estágios, formações, enfim...

Abraço

P.Cabral

Anónimo disse...

A macrocefalia e xulice de Lisboa,estende-se a todas as actividades deste País e ponto final.

Nos idos anos sessenta /setenta o falecido Cesar Torres dominava tudo o que eram provas de automóveis!!!!
A malta do Centro e Norte,onde se faziam quase todas as provas automobilisticas,fartou-se da prepotencia e intormissão e organizou-se em Associações para fazer a Federação do Norte e Centro !!!!! Tremeu tudo em Lisboa e já davam todo o apoio á malta ,podiamps fazer o que quisessemos,afinal estavamos todos a trabalhar para a mesma causa!!!!
É este o caminho que todas as Associações de Vela do Centro e Norte têm que seguir.
Já agora e com este embalo até podiamos fazer um Governo do Norte e Centro para acabar com a banditagem política de Lisboa porque eles comem tudo e não deixam nada !!!!!! E agora vou ver se ganhei algum no Euro Milhões pra ajudar o Vara, o Jardim Gonçãlves,o Filipe Cunhal e outros que coitados estão sem emprego !!!!!!!!
Luis (mais conhecido por Peido Amarelo)

Anónimo disse...

Eh pá
Então vocês não sabem que o Pres. da ANC é o Pres. da Ass. Geral da F.P.Vela? e que um dos dir. da ANC é o secretário da mesa da Ass.Geral da F.P.Vela? e que um antigo Dir. da ANC é agora PRESIDENTE da FEDERAÇÂO PORTUGUESA DE VELA?
Querem mais esclarecimentos?
C. Rosa - Vilamoura

Anónimo disse...

Tanta vassalagem... Acho que existem condições para ser criada a AVCN - Associação de Veleiros de Cruzeiro Norte. Seguro de grupo é pinut's; eventos já se fazem; marinas algumas mas com gente sempre simpatica e disponível; sede? de dois em dois anos nos principais portos e clubes do Norte... estamos à espera de ???

Marujo

João Manuel Rodrigues disse...

Prontes, lá tinhas tu de meter o dedo na ferida.
Ainda vais arranjar sarna para te coçares, vais ser o futuro presidente, da futura AVCN, já que a sede nos ultimos dois anos tem sido no "Baptista".
Ass.
O sobrinho de Sua Eminência o Bispo de Ourêm e Fátima

CELTA MORGANA disse...

Eu por mim - estou bem assim !!!
Tenho comido bem e bebido melhor!!! Às vezes até bebo uns copos no barco...
Essas questões administrativas, devem (continuar) ficar em Lisboa. Lá é que a malta sabe lidar com papeis e decretos.

No fundo, bem lá no fundo esta malta do norte quer é ... copos e muitas "Organizações Beiga".

Tirando as tripulações do "Celta Morgana" e do "Zurk", alguém sabe como parir um "rating" ???
Deixem isso para Lisboa...

Anónimo disse...

Aqui no reino independente do "Al-Gharb" não queremos saber de ratingues. Quem chega à frente é que ganha! Não têm papel para comprar iates rápidos? paciência.
A ANC fazia cá por baixo os campeonatos nacionais durante o Verão, para aproveitar as férias do pessoal do centro e norte, que cá vinham em busca de água quente. Acharam que nós éramos "Mouros" e desistiram!
C.Rosa - Vilamoura

Anónimo disse...

Ora aí está a resposta que faltava... para quem duvidava!

É hora da AVCN!!!

Marujo

Anónimo disse...

Asfixia democrática ?

Anónimo disse...

Os do Norte chamam mouros aos de Lisboa e os de Lisboa mouros aos do Algarve. Deve ser o concurso para ver quem á mais mouro.
O que será que os galegos chamam ao pessoal do norte português? Mouros?
Viva o chouriço (mouro) e ides dar banho ao cão.
Trinca-espinhas

Anónimo disse...

Oh pessoal do Norte
Bós sois uns porreiros mas que diabo! bir aqui no Berão como beio um iate de nome gindungo e içar no pau da bela grande uma ganda bandeira do FCP !!!???
Isso é probocar a mouraria cá da minha terra que só pensamos é no Quarteirense!
Um grande abraço para todos bós e bibó peixe grelhado algarbio.
C.Rosa - BilaMoura

Anónimo disse...

Estou de acordo com quase tudo que se disse da ANC. Fui Sócio só por um ano e chegou para ver o que se pretendia. Em relação a cruzeiros e passeios espero que a ANR não herde o elitismo da ANC. È que há quem tenha barcos pequenos demais para grandes viagens mas poderá sempre dar jeito a uma tripulação desfalcada. Mas na ANC quem não fosse proprietario de um bom barco era sócio de 2ª.
Espero para ver.

Felicidades